18 junho 2016

Tudo é um ciclo





Perder dói, não sou competitiva,  talvez um pouco,  mas perder dói.  
Perder aquela amiga que antes vocês eram quase irmãs dói! Perder sua turma de colégio , por mais esforços que sejam feitos dói. 


Dói se afastar das pessoas, dói fechar ciclos,  dói virar a página/mudar o livro mesmo você querendo saber o final dessa história. 


Dói planejar um futuro, e de repente a pessoa não está junto a nós. Dói crescer e ver que muitas pessoas só precisam de você quando você está bem, quando está mal não é capaz de um abraço sincero. 


Dói quebrar a cara, o coração e a alma. Por quantas vezes você não se decepcionou? Há quase uma coleção delas né? 


Nesse caos de tantos pedaços de mim perdidos, tento me remontar, é como se fosse aprender a andar sozinha de novo. Juntar cada pedacinho demora, exige paciência e sabedoria. Exige amor próprio,  pois quem não quis ficar foram eles, permaneça onde está menina, não não vá atrás.  Se preserve! ( uma observação ao meu interlocutor,  ao escrever isso, me sinto repreendendo a mim mesma, então não se preocupe esse texto é para nós) 


Há uma diferença entre lutar por pessoas, e se afundar por elas.  Com o tempo temos que nos tornar suficiente para nós mesmos. Temos que saber ser feliz sozinho, vai doer menos! Preservação, e amor próprio para menos dores, mais cautela, não mergulhe em pessoas rasas, machuca e dói!

  
Para quem nunca sentiu essa dor, aproveite, pois uma hora você vai crescer e se deparar com as dores dos ciclos que você é obrigada a fechar e sumir com as chaves. 


Que sejamos capazes de ser seletivas em quem pode participar dos nossos momentos, que não depositemos adjetivos de mais, a pessoas de menos.  O risco é menor. Escolha por quem vale a pena sofrer! E se quer um palpite, sofra só por você.





Nenhum comentário:

Postar um comentário

© Ana Julia Machado - 2015-2016. Todos os direitos reservados.
Criado por: Beauty Design.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo